TEXTOS

NICOLÂNDIA

NICOLÂNDIA
Vou-me embora pra Nicolândia
Lá sou amigo do rei
Lá jogo só quando quero
A partida que escolherei

Vou-me embora pra Nicolândia
E no próximo jogo, mais um golaço
E não esqueçam todos
De dar Block no Baldasso

@danilojjunior

Cláudio Winck 1 x 1 Luis Carlos Winck



No jogo da família winck, neste 8 de Julho de 2017, pelo Campeonato Brasileiro da Série B de 2017, o tio não venceu o sobrinho...e o sobrinho não conseguiu vencer o tio.
O baita ex lateral direito do internacional nas décadas de 80 e 90, Luis Carlos Winck, hoje técnico do Criciúma, veio ao Beira Rio para esse jogo contra o Inter numa retranca inominável...verdade...
Além disso, seu time conseguiu “ensebar” o jogo de todas as maneiras possíveis...teve até jogador do criciúma se atirando da maca...
Mas, o adversário era o inter, com o sobrinho Cláudio Winck, que inclusive, foi pedido por grande parte da torcida (inclusive eu) no time...
O adversário era o Inter...que teve as duas semanas de treino que o Guto Ferreira pediu...
O adversário era o Inter...Campeão Mundial, Bicampeão da Libertadores e TriCampeão Brasileiro...
O adversário era o Inter...em casa, No Beira Rio...
O adversário era o Inter...Centenário, celeiro de ases...
O adversário era o Inter...Multicampeão.
O adversário era o Inter...e mesmo assim, o time do tio Luis Carlos Winck empatou com o time do sobrinho Cláudio Winck ...

P.S. Em tempo, o sobrinho Cláudio Winck jogou bem contra o time do tio Luis Carlos winck.


A MALDIÇÃO DO TIGRES




Não sou desses que acreditam na mística, principalmente, no futebol.
Digo isto, porque uma boa parcela de colorados que tenho conversado apontam o início da queda temporária do império vermelho firmado nos anos 2000, no último jogo da Libertadores 2015 contra o Tigres, do México.
Eu, particularmente, marco o início dessa maldição na data da contratação do já  calejado em série b, o meia Anderson.
Sim, o protagonista daquele DVD, da batalha aquela...enfim,  daquela segunda vez do coirmão na série b.
Ali começara a sucessão de erros da gestão Píffero que ocasionou o rebaixamento do Inter em 2016 e ainda traz reflexos nessas últimas apresentações do Inter.
Atentem: Depois da contratação do Anderson por aquele preço exorbitante, que impediu contratações realmente relevantes e eficazes para o time, dado o enorme montante gasto com o jogador, tivemos: O tubo de oxigênio, a desclassificação do inter pelo Tigres, a demissão de Diego Aguirre (sim, achei desnecessária e imprevidente, pois teríamos um grenal na mesma semana, o resultado daquele grenal sem técnico, a troca frenética de treinadores que demonstrava a falta de convicção e o desespero  e finalmente, depois de mais de cem anos de história, o rebaixamento no final de 2016.
Portanto, a maldição, na verdade, não é do Tigres, e sim do Anderson...



Aprenda Ukulele 🎼🎸 👉 http://bit.ly/ukuleletube
Ouça hotel Cigano no Spotify 🎼 👉 http://bit.ly/SpotifyHotel

Tivemos mais Partos que chutes a gol no Jogo do Vila Ventura F.C.


Um parto precisa de 9 meses para acontecer...
Para que o Inter chute a gol...Sinceramente, não sei.
Foram mais 90 minutos de confusão...desorganização...e temor...
Guto conseguiu transformar o pouco que Zago tentara organizar em uma confusão...
Jogadores confusos, tentativas de jogadas confusas em uma desorganização sem tamanho...
O temor que  assombrava a atmosfera do jogo aflorava das arquibancadas...O torcedor já temia, mesmo apoiando desde o início que o final de mais esse jogo, incrivelmente seria o mesmo, se não pior que as últimas partidas no Beira Rio...
E, foi...
O Inter conseguiu perder para o Boa Esporte em casa e mais uma vez, não chutou a gol...
Mesmo com a semana, a pedido de Guto, no Vila Ventura para treinamentos...o time voltou pior que antes da semana no resort em Viamão..
Enfim...
Guto terá mais uma semana de treinamentos...desta vez no Beira Rio...
Esperamos que haja melhora  no time e ao menos chutes a gol no próximo jogo contra o Criciúma..pois, no jogo contra o Boa Esporte, houve mais partos do que chutes a gol no jogo do Vila Ventura F.C.


Como foi bom “aquele” 1992...e “aquele” 2005...




Há uma lenda sobre os anos 90 do Inter, e que só me dei conta que não é verdadeira nesse 2017...
O fato é, que eu mesmo, aqui ou em outras redes e cantos da vida tenho reclamado muito da performance do Inter nessa temporada 2017...
Muitos amigos que torcem para o coirmão aproveitam o momento para comentar e de certa maneira tripudiar o inter 2017. No entanto, estão cobertos por uma névoa de esquecimento...
Nós, colorados... fomos virgens de série B por anos...longos anos, inclusive...
Ainda não estamos acostumados a voltar no tempo e olhar a tabela dos campeonatos de série B de outrora..
Pois então...Sopremos essa névoa de esquecimento sob as cabeças tricolores e voltemos, às ditas “épocas amargas” do Inter...
Em 1992, o Inter levantara aquela taça da copa do Brasil, com aquele gol de pênalti de Célio Silva e automaticamente fora classificado para a Libertadores 1993, enquanto, o Coirmão amargara sua Primeira série B...e voltava para a série A em nono lugar entre as 30 equipes daquela edição da Segundona com a ajuda do cartola Eurico Miranda...
Nem vou falar do 2 x 5 Uhh Fabiano, no Olímpico, porque o tema aqui são os anos de 1992 e 2005...mas, não acho os anos 90 tão ruins assim, como diz a lenda.
Se não tenho mágoas com o inter de 90, imaginem com o dos anos 2000...
Em 2005...outra vez...mais um ano de sofrimento tricolor...
Pela segunda vez na série b, em Junho de 2005...O coirmão engolia a seco 4 gols, do Anapolina...
Sim, no dia 19 de junho de 2005, O Anapolina fez 4 gols nesse grêmio da segunda série B de sua vida... na contramão: nesse mesmo 2005, o mais importante. Aquela final contra o Corinthians que fora o prenúncio de uma Libertadores e um Mundial em 2006...
Vocês conseguem imaginar o que foram esses dois anos para os torcedores do coirmão ??
Eu, não..
Hoje é dia 30 de Junho de 2017: não acredito que o coirmão vença a copa do Brasil esse ano, certamente, colheremos frutos bem melhores nessa série B do que um nono Lugar e o melhor...
Ainda não tomamos 4 do Anapolina !!!



A METAMORFOSE DE FRANZ KAFKA E O INTER





“Quando certa manhã Gregor Samsa acordou de sonhos intranquilos, encontrou-se em sua cama metamorfoseado num inseto monstruoso.”


As primeiras linhas do romance de Franz Kafka apontam para a metamorfose do caixeiro viajante Gregor Samsa, que ao acordar percebe que seu corpo sofrera uma metamorfose...
Agora, Gregor Samsa era dono de um corpo estranho em forma de  um inseto grotesco...

Depois de 108 anos do Inter  e dos meus gloriosos 44 anos de idade , sinto-me  um Gregor Samsa vermelho e vejo no Inter, a mesma aparência grotesca e apavorante do inseto metamorfoseado em Gregor Samsa, no romance de Franz Kafka...

A narrativa do absurdo de Franz Kafka é o mais próximo da realidade que o nosso Sport Club Internacional e nós, torcedores vivemos hoje.
A véspera da metamorfose do Inter e minha, como torcedor, começara no final de 2016...
A instituição centenária e ilesa de um campeonato na Segunda Divisão e o torcedor quase cinquentenário , no caso eu, também ileso à uma segunda divisão viam agora no espelho da realidade, a metamorfose em um monstro grotesco chamado Série B.

Um corpo escamoso, escorregadio em um ambiente pantanoso...
O personagem do romance de Kafka, a cada novo incômodo encontrava-se acompanhado de um questionamento e uma mudança de pensamento comparado ao antigo estilo de vida antes da metamorfose...

O inter parece ainda não ter dado conta do tamanho do monstro no espelho e da rudeza do ambiente pantanoso que lhe está sendo oferecido...e eu,também não...

Uma transformação em um time desorganizado, inoperante defensiva e ofensivamente...com poucos guerreiros e muitos desorientados...

Um torcedor apreensivo, com dúvidas e inseguranças...apenas munido  com o grito de apoio e a presença no estádio...
O grito de Gol entalado, enlatado em uma carcaça de temor...
Um temor pelo pior...
O temor de que essa carcaça da série b não saia do nosso corpo e do corpo do Inter...

Ao final do romance “A metamorfose”, de Kafka, Gregor Samsa sucumbe...sem forças...sozinho no seu quarto...
Que o futuro nos seja muito mais leve do que o final atroz de Samsa...

@danilojjunior


A VITÓRIA EM PELOTAS SOB A ÉGIDE DO CAPITÃO D´ALESSANDRO




Guto fez o óbvio..E deu certo..
Simples,né...

Fabinho já havia jogado na lateral direita...E bem...
Uendel na lateral esquerda:  é o melhor para ele e para a equipe...
Edenílson...Aí mesmo, cara...joga por aí...aí tu é o cara...
Charles, a gratíssima surpresa...e a dupla de zaga, que creio eu, ter sido a melhor até agora...

Mas, tudo isso talvez fosse ineficaz se não tivéssemos na equipe um jogador como D´alessandro...
A mobilidade do meio campo do Inter nesse jogo, que ao meu ver, proporcionou essa quantidade de finalizações neste jogo é responsabilidade do capitão do Sport club Internacional.
A assistência para o Gol redentor de Fabinho, por exemplo foi dele...Nicolás Andrés D´alessandro.

Inclusive, nesta temporada 2017, D´alessandro jogou 28 vezes pelo Inter...Fez 5 Gols e 9 assistências...

Pois bem, se nos dois jogos passados, o Inter não chuto a gol...Nesse jogo em Pelotas foram 17 finalizações, sendo que 9...Sim, 9 (NOVE) delas na direção do Gol.

Agradecemos sim, ao que parece ser uma defesa mais confiável...(há três jogos sem tomar gol)..e, também ao Guto que colocando as peças disponíveis em seus respectivos lugares...sem invenções proporcionou ao nosso Capitão desenvolver seu futebol e, praticamente definir o jogo com aquele passe no pé de Fabinho...
Gol do Inter...
E nos próximos dois sábados, contra o Boa Esporte...e Criciúma.
Todos ao Beira Rio...

@danilojjunior

O DIA EM QUE O INTER NÃO CHUTOU A GOL DENTRO DO BEIRA RIO - CHUTAR VERBO TRANSITIVO




Na tarde gélida do dia 20 de Junho, de 2017...Algumas horas antes do decreto do inverno do ano, oficialmente, terminei mais um dia de trabalho e dirigi-me ao Gigante da Beira Rio...

Fiz/faço/farei essa conexão Mathias Velho-Beira rio por muitas vezes...
Há coisas e caminhos loucos que percorremos e fizemos pela história de nossos clubes...
O que não esperava nessa trip do dia 20/6 é que o final seria tão obscuramente desalentador... O torcedor sempre acredita...sempre deposita sua gota de esperança em um mar de incertezas...É o que sempre faço quando as coisas vão mal...

E, logo depois daquele jogo contra o Santa Cruz, o que restou foi o ímpeto da gota de esperança...
No entanto, minha gota de esperança mirrou ao ouvir, no rádio ainda a caminho do estádio, que pouco mudara o time...e que o que mudara não era nem um pouco alentador...

O fato é, que logo depois daquele jogo( novamente) horrível do Inter, desta vez em um beira rio frio e com pouco mais de 11.000 depositários de gotas de esperança , assisti um timer irreconhecível comparado a sua história e para meu terror, muito parecido com o que assisti no jogo contra o Santa Cruz...

Ceará foi ressuscitado sem pudor algum...Digo isso, não pela história do Ceará como jogador do Inter, mas pela tese maluca do Guto Ferreira, em achar que o Ceará poderia realmente naquele jogo ser a melhor opção, tendo o vigor e a juventude de Cláudio Winck à disposição...
Um jogo “lateralizado” e ineficiente, um D´alessandro heróico tentando levar o Time nas costas em um meio de campo árido e sem efetividade nenhuma...
Um Cirino perdido, desnorteado, deslocado e completamente fora do jogo...
Um Sahara, onde o Oásis seria um bola alçada na área por qualquer um , a qualquer momento a fim de um gol fortuito...nem isso... Não avistamos o Oásis... Ficamos secos... À míngua...

Dependentes de um ataque omisso e sem confiança para CHUTAR... Pedia incessantemente, um chute de fora da área que fosse...um rebote do goleiro...um poste...ou, quem sabe um rebote do zagueiro....Whatever.... Mas, não...Esse verbo Transitivo não foi conjugado...
Quem chuta....Chuta algo...

Menos o Inter naquela Noite... Foi uma noite em que o Inter Não chutou a gol dentro do Beira Rio... Uma noite gélida, sem futebol, sem garra ... sem gols...mas, com o resto de uma gota de esperança mirrada para o próximo jogo do Inter...
Acorda, Guto. 

@danilojjunior